O Brasil terá o primeiro Index Fund lastreado em criptomoedas da América Latina. É mais uma iniciativa capitaneada pelo CBO da Cointrade, Rocelo Lopes, um dos maiores experts do segmento, estando à frente de um ecossistema de empresas com soluções completas para o investimento nesse tipo de ativo financeiro.

A expectativa, de acordo com a matéria do Criptomoedas Fácil, na qual o empreendedor antecipa o lançamento do fundo, é de que a adesão já seja possível logo após a LabitConf, que quando ocorre o anúncio oficial. O evento acontece em Santiago, no Chile, entre 05 e 08 de dezembro.

A ideia é disponibilizar ao mercado uma espécie de cesta de investimentos crypto, já que o Index Fund se caracteriza, justamente, pelo lastro em portfólio de ativos geridos pelo operador. A vantagem é o investidor ter acesso a uma gama de produtos, sem precisar se envolver na gestão e armazenamento dos ativos e reduzindo despesas operacionais.

Token e plataforma exclusiva

Junto com o fundo e como forma de viabilizar sua operação, Rocelo Lopes também lança um token, o BLU, que contará com uma plataforma exclusiva, a StratumBlue, que vai viabilizar a compra do token. Outras plataformas do grupo de empresas, como a própria Cointrade também vão permitir a aquisição do BLU, com Bitcoin, Ethereum ou cartão de crédito.

Rocelo Lopes, que estará representando a Cointrade na LabitConf, explica, ainda na reportagem do Criptomoedas Fácil, que o BLU terá seu valor lastreado 90% nas 10 principais criptomoedas do mercado. Os outros 10% ficam assim distribuídos, 5% são vinculados a investimentos em tecnologia blockchain e outros 5% em criptomoedas que ofereçam “oportunidades” de negociação interessantes no curto prazo. Como o token é um ativo com usabilidade,  também poderá ser vendido ou recarregado. Pioneiro na América Latina, o fundo replica o sucesso de iniciativas similares pelo mundo.

 

A Cointrade está entre as primeiras exchanges brasileiras a disponibilizar a moeda digital ZCore para a realização de transações pelos usuários. A criptomoeda ganhou destaque de mercado, principalmente, depois da recente valorização de 512% em curto espaço de tempo. Num único dia, a ZCore chegou a registrar 100% de alta.

Um contexto que levou a cripto a figurar no ranking das maiores moedas digitais do mercado e impulsionou o volume de transações a uma média de R$100 mil diários. Além de alguns aspectos únicos, que fazem a Z-Core um produto diferenciado no segmento crypto, a moeda é parte de um projeto que tem como principal fundamento a viabilização de soluções financeiras em ativos digitais que facilitem a vida e se integrem à rotina das pessoas de forma mais ampla.

O que a ZCore tem de diferente?

Desde o lançamento, a ZCore, que é uma moeda brasileira, chama a atenção do mercado, tendo em vista algumas características singulares. Primeiro porque, ao contrário da maioria das outras criptomoedas, não passou pelo processo chamado de ICO, ou oferta inicial de mercado.

Também não houve pré-mineração, o que significa que as moedas mineradas estão todas em circulação, ficando estabelecido um limite máximo de 18 milhões de unidades. Esses fatores, junto com a alta valorização recente, são alguns dos principais motivos para a escassez percebida por quem tenta adquirir ZCores.

Masternode é outro destaque

Outra singularidade vem com o fato de a moeda possuir um sistema de Masternode compartilhado que, na prática, é um blockchain próprio. Os serviços de segurança do ativo, bem como de validação de operações, são recompensados aos operadores certificados com as moedas geradas pelos blocos decorrentes das transações, ou mesmo das taxas de rede. Para operar como agente Masternode da ZCore é preciso que o usuário possua um saldo de 5.000 unidades da cripto.

Além disso, a aposta da ZCore em inovação e popularização do uso de ativos digitais vem  com a possibilidade de realizar transações mobile. Basta que o usuário configure uma wallet no aplicativo de comunicação próprio da moeda, que englobará as exchanges que tenham o ZCore em seu portfólio, como a Cointrade. Aproveite e opere já com ZCore na nossa plataforma. 

Os principais nomes nacionais e internacionais do mercado de Blockchain e Criptomoedas estarão reunidos no maior evento do país sobre o assunto e que promete ser um dos destaques da agenda internacional do segmento. O Fórum Blockmaster terá mais de mil participantes, numa estrutura de 25 stands e 3 auditórios, com mais de 14 atividades englobadas, e acontece nos dias 12 e 13 de novembro, no Centro Fecomércio de Eventos, em São Paulo. A Cointrade é uma das Patrocinadoras Ouro do evento e tem diretores compondo o quadro de palestrantes, participando dos importantes debates conduzidos no evento.

Para mais informações sobre o evento e inscrições, acesse à página oficial do Blockmaster 2018.

Sobre a Cointrade

A Cointrade é uma plataforma que permite fazer negociações de compra e venda de criptomoedas em um modelo semelhante ao da Bolsa de Valores, 24 horas por dia de segunda a segunda. Os usuários da plataforma podem aproveitar a chance única de imersão no mundo das moedas digitais, com 30% de desconto na inscrição para o Fórum Blockmaster.

 

A Cointrade chega ao mercado como uma nova opção de investimento que atende desde os mais experientes até quem está começando no negócio.