Posts

Passados 10 anos do lançamento do Bitcoin, a realidade e o futuro do novo mercado financeiro, que tem os criptoativos como protagonistas, estarão em cena em mais uma edição do prestigiado LaBITConf. Os benefícios da tecnologia blockchain e o cenário latino-americano para o segmento são outros temas em pauta, num dos principais eventos internacionais da área.

Essa é a sexta edição do LaBITConf, que acontece entre os dias 05 e 08 de dezembro de 2018, em Santiago, capital do Chile. A programação é destinada a empresários, representantes de organizações públicas e privadas e membros do ecossistema de moedas digitais, reunindo alguns dos principais nomes internacionais relacionados aos temas em debate. Serão palestras, painéis e debates, além de uma sessão de lançamento de produtos para a América Latina, na qual o CBO da Cointrade, Rocelo Lopes, lança um pioneiro Index Fund lastreado em criptomoedas.

Cenário exchange, na visão de Rocelo Lopes

 

Uma das importantes linhas de negócios do mercado das moedas digitais surge com as exchanges, como a Cointrade, uma plataforma on-line de compra, venda e operação financeira com criptomoedas. E as estratégias das exchanges da América Latina serão o tema do painel que está na agenda da manhã do segundo dia do LaBITCoinf, com a participação de Rocelo Lopes, que representa a Cointrade, como CBO da plataforma.

Ele é um dos três painelistas brasileiros, junto com a cofundadora da Blockchain Academy, Rosine Kadamani, e Fernando Ulrich, representante da XDEX. Na sessão dedicada ao lançamento de produtos, marcada para a tarde e encerramento do evento, Rocelo apresenta o fundo de investimentos que está trazendo ao mercado, de forma pioneira na América Latina, que permite montar uma cesta de investimentos com lastro em um portfólio de ativos digitais, dentre eles as 10 principais moedas digitais do mercado atualmente. Uma das principais vantagens deste novo fundo é o fato do investidor não precisar se envolver na gestão e armazenamento dos ativos, reduzindo despesas operacionais.

A viabilidade da operação do novo Index Fund se dará por meio do token BLU. Além da StratumBlue, plataforma criada para viabilizar a compra do token, as outras empresas do ecossistema de negócios crypto gerenciado por Rocelo Lopes também darão suporte à iniciativa. Os usuários da Cointrade poderão adquirir o BLU, com Bitcoin, Ethereum ou cartão de crédito.

 

O Brasil terá o primeiro Index Fund lastreado em criptomoedas da América Latina. É mais uma iniciativa capitaneada pelo CBO da Cointrade, Rocelo Lopes, um dos maiores experts do segmento, estando à frente de um ecossistema de empresas com soluções completas para o investimento nesse tipo de ativo financeiro.

A expectativa, de acordo com a matéria do Criptomoedas Fácil, na qual o empreendedor antecipa o lançamento do fundo, é de que a adesão já seja possível logo após a LabitConf, que quando ocorre o anúncio oficial. O evento acontece em Santiago, no Chile, entre 05 e 08 de dezembro.

A ideia é disponibilizar ao mercado uma espécie de cesta de investimentos crypto, já que o Index Fund se caracteriza, justamente, pelo lastro em portfólio de ativos geridos pelo operador. A vantagem é o investidor ter acesso a uma gama de produtos, sem precisar se envolver na gestão e armazenamento dos ativos e reduzindo despesas operacionais.

Token e plataforma exclusiva

Junto com o fundo e como forma de viabilizar sua operação, Rocelo Lopes também lança um token, o BLU, que contará com uma plataforma exclusiva, a StratumBlue, que vai viabilizar a compra do token. Outras plataformas do grupo de empresas, como a própria Cointrade também vão permitir a aquisição do BLU, com Bitcoin, Ethereum ou cartão de crédito.

Rocelo Lopes, que estará representando a Cointrade na LabitConf, explica, ainda na reportagem do Criptomoedas Fácil, que o BLU terá seu valor lastreado 90% nas 10 principais criptomoedas do mercado. Os outros 10% ficam assim distribuídos, 5% são vinculados a investimentos em tecnologia blockchain e outros 5% em criptomoedas que ofereçam “oportunidades” de negociação interessantes no curto prazo. Como o token é um ativo com usabilidade,  também poderá ser vendido ou recarregado. Pioneiro na América Latina, o fundo replica o sucesso de iniciativas similares pelo mundo.