Posts

O Brasil terá o primeiro Index Fund lastreado em criptomoedas da América Latina. É mais uma iniciativa capitaneada pelo CBO da Cointrade, Rocelo Lopes, um dos maiores experts do segmento, estando à frente de um ecossistema de empresas com soluções completas para o investimento nesse tipo de ativo financeiro.

A expectativa, de acordo com a matéria do Criptomoedas Fácil, na qual o empreendedor antecipa o lançamento do fundo, é de que a adesão já seja possível logo após a LabitConf, que quando ocorre o anúncio oficial. O evento acontece em Santiago, no Chile, entre 05 e 08 de dezembro.

A ideia é disponibilizar ao mercado uma espécie de cesta de investimentos crypto, já que o Index Fund se caracteriza, justamente, pelo lastro em portfólio de ativos geridos pelo operador. A vantagem é o investidor ter acesso a uma gama de produtos, sem precisar se envolver na gestão e armazenamento dos ativos e reduzindo despesas operacionais.

Token e plataforma exclusiva

Junto com o fundo e como forma de viabilizar sua operação, Rocelo Lopes também lança um token, o BLU, que contará com uma plataforma exclusiva, a StratumBlue, que vai viabilizar a compra do token. Outras plataformas do grupo de empresas, como a própria Cointrade também vão permitir a aquisição do BLU, com Bitcoin, Ethereum ou cartão de crédito.

Rocelo Lopes, que estará representando a Cointrade na LabitConf, explica, ainda na reportagem do Criptomoedas Fácil, que o BLU terá seu valor lastreado 90% nas 10 principais criptomoedas do mercado. Os outros 10% ficam assim distribuídos, 5% são vinculados a investimentos em tecnologia blockchain e outros 5% em criptomoedas que ofereçam “oportunidades” de negociação interessantes no curto prazo. Como o token é um ativo com usabilidade,  também poderá ser vendido ou recarregado. Pioneiro na América Latina, o fundo replica o sucesso de iniciativas similares pelo mundo.

 

O mercado de produtos financeiros digitais baseados em criptografia e blockchain tem possibilidades diversificadas à disposição dos investidores ligados no disruptivo mercado crypto. Os tokens criptografados, como o TrueUSD (TUSD), que está disponível para a realização de transações na Cointrade, são um exemplo desse amplo conjunto de opções.

Embora bastante similares às moedas digitais, os tokens guardam características específicas que fazem com que os especialistas os desenquadrem do conceito de criptomoeda. Aqui você vai entender melhor os diferenciais da TUSD, tendo elementos de análise para operar no trading, com o uso do ativo, a partir de plataformas completas como a cointrade.cx.

O que faz os tokens diferentes?

Em se tratando de abordar os diferenciais dos tokens, um primeiro ponto fundamental a considerar é seu espectro mais amplo. As criptomoedas são produtos basicamente usados como unidade de troca e reserva de valor. Já os tokens permitem um conjunto de operações que vai desde as transações financeiras até o registro de histórico médico, por exemplo.

Os ativos financeiros dessa modalidade cumprem sim o papel de moeda, mas também permitem aos adeptos usufruir de um conjunto de funcionalidades neles disponíveis, como chaves de acesso a ambientes de serviços. E ainda é possível estabelecer mecanismos de recompensas aos usuários, já que os tokens são vinculados a promessas de valor, que podem ser, por exemplo, títulos de dívida, papéis de ações ou ativos similares às criptomoedas, como o TUSD.

A noção de stablecoin

Vale destacar que o TrueUSD é enquadrado como stablecoin. Um produto tratado com vantagem, na comparação com similares, por fazer frente à característica volatilidade do bitcoin, por exemplo. Além disso, o lastro do dólar, uma moeda fiat é outro fator de segurança e confiabilidade. Isso sem contar que o projeto TrueUSD ainda prevê auditoria por empresas de renome no mercado financeiro mundial.

Ficou interessado nas características desse ativo? Você pode transacionar o ativo, aproveitando o conjunto de funcionalidades completas para trading que só a Cointrade oferece. Venha realizar crypto-trading, com facilidade, agilidade e segurança.